Inicial > Finanças > Como conquistar a independência financeira e sair do vermelho

Como conquistar a independência financeira e sair do vermelho

por Guia do Como
Como conquistar a independência financeira e sair do vermelho

Quase 62 milhões de brasileiros estão inadimplentes. O dado é resultado de um levantamento realizado pela Serasa Experian e divulgado em julho de 2018, e aponta o maior patamar desde que a série dessa pesquisa foi iniciada no ano de 2016.

Em comparação ao mesmo período de 2017, o aumento de brasileiros devedores foi de 1,98%. A média é de quatro dívidas por CPF, com despesas de aproximadamente R$ 4.426 por indivíduo, e a faixa etária que mais deve é das pessoas entre 36 e 40 anos.

Mas, afinal, como resolver a inadimplência, sair do vermelho e conquistar a estabilidade financeira?

Educação financeira é essencial

Retomar o controle da vida financeira e deixar de fazer parte das estatísticas de inadimplência requer disciplina e planejamento. A princípio isso parece difícil, mas com um pouco de dedicação é possível reformular hábitos e encontrar caminhos.

Antes de mais nada, é necessário mapear todas as dívidas. Isso pode ser feito em papel ou em planilha, mas o mais importante é concentrar o total de cada uma, o valor das parcelas de cada uma e quantos meses ainda faltam. Depois, o ideal é buscar cada credor (ou seja, cada instituição, banco ou empresa em que há a dívida) e negociar um pagamento à vista, verificando se é possível obter um desconto sob essas condições. Com todos os valores negociados em mãos, levante quais débitos podem ser pagos com antecedência.

Se você está procurando como conseguir dinheiro, uma excelente saída nesses casos é o empréstimo pessoal. Com ele é possível quitar dívidas múltiplas com valores diferentes de parcelas e “trocar” por apenas uma dívida, com valor total menor. Plataformas online de crédito pessoal disponibilizam o valor solicitado em apenas alguns minutos caso o cadastro do solicitante seja aprovado. No entanto, sempre fique atento: peça crédito apenas em sites confiáveis (para saber mais sobre a empresa, faça consultas no Google e em sites como o Reclame Aqui) e jamais deposite ou adiante qualquer montante para ter o dinheiro em sua conta. Essa prática é ilegal, conforme o Banco Central do Brasil, e pode indicar um golpe.

Com a quitação das dívidas, é hora de colocar no papel os gastos mensais gerais. Aluguel, condomínio, IPTU, energia elétrica, água, gás, internet, celular, cartão de crédito, alimentação, plano de saúde, medicamentos, higiene pessoal, passeios, estudos: tudo deve entrar no levantamento. Com a lista de gasto em mãos, verifique se algumas dessas despesas podem ser reajustadas. Por exemplo: você assiste a todos os canais do seu pacote de TV? Se a resposta for não, que tal trocar por um plano mais em conta? Há algum plano de telefonia móvel mais barato do que o utilizado por você atualmente? Você percebe que tem gastos altos com entretenimento – bares, restaurantes, lanchonetes? Que tal repensar a frequência dos passeios, e trocar alguns programas externos por jantares ou lanches em casa com a família ou os amigos? Retomar a autonomia da vida financeira é mais fácil do que parece. Coloque as dicas em prática e saia do vermelho!

You may also like

Deixe um Comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Saber mais